Follow by Email

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Lolita


Lolita, no contexto do post, é pra definir garotas na fase da pré- adolescência, sexualmente atraentes e/ ou precoces. E não o que pode ter vindo a cabeça de alguns como isso aqui:


Mulheres asiáticas de mais de 20 anos tentando recuperar a infância (pervertida) perdida #not.

Nas verdade é um post sobre a obra lynda e querida do Vlad Nabokov, que era livro e foi adaptada pro cinema duas vezes, e eu acho muito dignas as suas adaptações.


A história de Lolita tem como protagonista o professor Humbert, que está à procura de algum lugar para ficar e encontra a casa de Lolita, na qual mora com a mãe. O professor Humbert já é um homem de meia-idade, mas mesmo assim caiu nos encantos da menina de apenas doze, que na verdade não é tão inocente como a idade prevê.
O livro é muito bacana e tudo, mas sinceramente a velocidade dos acontecimentos na narrativa é lenta e isso me agoniou pra caramba, tirando que às vezes não ficava muito claro o que tinha de fato acontecido em alguma situação, mas a história é bem gostosa, e como todo livro adaptado, é obviamente bem mais rico de detalhes.

Esse é o pôster do primeiro longa adaptado do livro, lançado na década de 60, por causa da censura da época, muitas coisas tinham de ser subentendidas no filme, que teve Sue Lyon no papel de Lolita.


Fato que Sue era linda, mas não durou muito no cinema, fez mais uns dois filmes e caiu no esquecimento. Chegou à mexer com drogas e até se casou com um assassino confesso.


O segundo longa foi filmado em 1997 e tinha Dominique Swain no papel de Lolita. O filme ficou bem mais fiel na segunda versão, primeiro porque se tinha maior liberdade com as cenas e segundo porque ela se assemelhava mais com a personagem descrita por Nabokov.




Nenhum comentário:

Postar um comentário